25 setembro, 2010

4 - Já que é pra falar do tal ex...

Eu sinceramente não sei por que a gente perde tempo falando em ex. Se é ex, é ex. E todo mundo sabe que ex bom é ex morto.
Se fosse assim, né?!
Bom seria se não existisse esta classificação: ex.
Se eram amigos, não pode ser como era antes? Ou, se você sequer prestava atenção na pessoa, podia voltar a ser invisível. Mas, é impossível voltar ao "status quo ante", então...
Mas essa de querer apagar a pessoa da nossa vida, depende também de como tudo terminou. Existem ex tão legais, que nem dói continuar a amizade, pelo contrário.
E penso também, que tem muito a ver com a intensidade do que se sentiu. Se foi aaaaqueeeelaaaa paixão bem forte, vai ser complicado o depois.
Pois é, já que vamos perder tempo falando de ex, sejamos pelo menos sinceros: bem feito quando eles/elas se relacionam com um(a) babaca. E que seja bem molóide mesmo!
Sem essa de ficar pageando relacionamento de ex. Já não é problema nosso. (Graças a Deus!)
Outra coisa é isso de superar. Essa disputa para ver quem vai superar primeiro. (Entendendo-se sempre superar como namorar de novo.) Desde que não seja eternamente, ou mais tempo do que o esperado, ou uma lamúria só, não tem nada demais sofrer por um rompimento. Há tanta coisa que pode nos fazer sofrer nesse caso: abrir mão de alguém de quem gostamos, de uma história bacana, de ter alguém, de bons momentos, da rotina, dos planos.... É fase de recomeço, e o sofrimento faz parte. Feliz de quem não tenta acelerar o processo, e nem retardá-lo. Só vive isso honestamente.
Geralmente é melhor esperar mais um tempo para se envolver com outra pessoa. Mas, não quer dizer que se de repente...
Penso que, beeem honestamente falando, o pior de ver o/a ex com um(a) babaca, não é nem o fato de ser babaca, porque nosso despeito provavelmente nos levará a considerá-lo(a) sempre babaca. O mais difícil é pensar que já fomos "trocados". E se a gente não tem a menor expectativa da nossa fila andar, então dói mais.
No entanto, dói mais se não nos concentrarmos em nós mesmos. Porque tudo que tem que ser respeitado nessa hora é o nosso tempo. E pode até ser que o/a ex esteja mesmo feliz nesse novo relacionamento. Mas, pode ser apenas mais alguém com que se envolveu para esquecer, para fazer ciúme, para provar que está bem, porque quer curtir... por tantos motivos.
Boa dica é sempre lembrar que ex são humanos como nós. Estão tão vulneráveis como estamos. Ninguém sai ileso de um rompimento. Todo mundo na luta.
E quanto a possibilidade de volta, eu não sei bem o que dizer. Sempre terminei bem terminadinho. Esse trem de voltar não é comigo. Mas adoraria ouvir a experiência de quem já voltou.
Falar em ex é meio olhar para trás. Pode ser até necessário às vezes, mas o bom mesmo é olhar para frente. Para nossos sonhos, planos, metas. Redescobrir-se. Aproveitar a vida de solteiro- que, por sinal, também é boa demais.
Quando a nossa fila vai andar de novo, não dá para prever. O que dá é aquela história de cuidar do jardim para que as borboletas venham.
E se der vontade de chorar por causa do/a ex, é só chorar (uai!). Como bem me disse um dos co-autores desse blog, o Gabriel, numa dessas situações de rompimento :  "faz parte do jogo. Você fez o que devia, o resto é resto. Vai passar, você vai melhorar. Faz parte do jogo. Se não doer não valeu a pena. Dani, evite a mediocridade. Seja inteira. "

É isso!

7 comentários:

  1. Fantástico:

    "faz parte do jogo. Você fez o que devia, o resto é resto. Vai passar, você vai melhorar. Faz parte do jogo. Se não doer não valeu a pena. Dani, evite a mediocridade. Seja inteira. "

    Toda mulher poderia ouvir isso de um amigo depois de um término... 'Evite a mediocridade! Seja inteira!"

    ResponderExcluir
  2. Eu concordo com boa parte do que tá escrito.
    Mas o que mais causa problema é quando o namoro e/ou ex namoro fica revolvendo em volta do 'ex bom é ex morto'. O que é exatamente esse lado quando não revolve por essa frase? Ex amiguinhos? Por favor né? Principalmente tive experiencias com mulheres que mantiveram amizade com os ex, e como a carne é fraca, a desculpa mais usada por elas, sempre acontece algum caso com o ex e depois acaba por de novo numa briga ou 'voltar' o namoro. As vezes essas estão num relacionamento novo, ou não. Simplesmente podem largar o atual e voltar com o ex. Mas na minha vida mesmo eu vi que isso não é o pior, o pior é a comparação indireta. Porque a direta é simples e acaba rápido com a relação. A indireta te faz refletir sobre o que VOCÊ mesmo é e o que o ex foi pra essa pessoa com quem está namorando. Somos bons o suficiente para a pessoa nem perceber que está te comparando ao Ex dela? Fica no ar, se culpar realmente não dá, então o problema permanece na pessoa mesmo para sempre? Se fosse assim, ninguém mudaria mesmo...

    ResponderExcluir
  3. "Falar em ex é meio olhar para trás. Pode ser até necessário às vezes, mas o bom mesmo é olhar para frente. Para nossos sonhos, planos, metas. Redescobrir-se. Aproveitar a vida de solteiro- que, por sinal, também é boa demais."
    Bom demais, Dani. Tem razão nesse ponto. Mas só pra explicar porque puxei assunto de ex's: como você disse, fica difícil fingir que a pessoa não existe, e infelizmente não se consegue mais manter o mesmo status de antes. Acho difícil quando a coisa muda pra um e não muda pra outro, tanto em termos de sentimentos quanto na parte da admiração pela pessoa que você tem. A sensação é de perda - não do namoro, ou rolo, ou o que for... Perda de um amigo. Alguém que não pode e/ou não quer mais ser tão amigo ou tão próximo como era antes.
    Mas aí vale muito o que você disse: "...nos concentrarmos em nós mesmos. Porque tudo que tem que ser respeitado nessa hora é o nosso tempo."

    ResponderExcluir
  4. Ah, a vida é assim mesmo... chega um ponto em que somos fortes pra não olhar pra trás mas isso é um processo e, às vezes, ele é bem demorado. Faz parte da vida curtir fossa pelo ex tb. Não é bom, mas é parte. XD

    ResponderExcluir
  5. Eu gostaria de poder postar nesse blog, mas ele não foi com a minha cara, então... XD' Mas falando em ex... eu acho que tudo o que passa na nossa vida marca. Superar não quer dizer esquecer. Se insensibilizar. Eu acho que a partir do momento em que houve história, pelo menos um "oi" cordial, as boas lembranças, os encontros ao acaso devem continuar sem nenhum ressentimento. Se acabou é porque não estava dando certo para nenhum dos lados. Mas quem disse que quem não dá certo pro amor não dá certo também pra amizade? O clima fica estranho? Só se ainda restar aquele fundinho de sentimento não superado. Acho que o ex não é nada além de um degrau, que um dia foi pedra, depois virou apoio e agora ajuda a subir mais alto, a aprender mais sobre si mesmo. As pessoas marcam. E isso é fato.

    ResponderExcluir
  6. to na fossa mesmo!
    As pessoas marcam!
    Marcam tanto que fica difícil da ferida sarar!
    Estou sendo mediocre? não sei.
    Ser Humano é Ser Sentimento também por isso é humano. Igual a Errar é Humano, e persistir no erro mais humano ainda... e continuar pensando assim mais e mais ainda humano.
    O que torna agente humano e não uma máquina?
    Os sentimentos né?
    Fala-se cuidar do jardim para um novo amor começar.
    Mas para começar de novo temos que arrancar todas as raizes que ficaram (ex)E isso que é difícil.
    Eu entrei de corpo e alma nessa relação e agora como estou???
    Sofrendo,passando até mal de saúde, chorando as vezes, pensando ainda que podia ou pode dar certo ainda. dizem que a esperança é a última que morre. Descordo porque se fosse as pessoas não se separariam assim de uma hora pra outra ou por motivos minimos.
    Ser desprezado é muito ruim, principalmente por quem você ainda ama.
    Tem um texto video no you tube que fala assim:
    Você quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não à você o direito de ser cruel!!!
    Remafly36!

    ResponderExcluir
  7. Renato, você está certíssimo. Quando a Dani fala sobre "não ser medíocre e ser inteira", tem a ver justamente com essa questão de admitir e não repelir o sofrimento. E quanto a cuidar do jardim e arrancar raízes, dê tempo a você, ao seu tempo... Eu não sou do time do "arranje um amor pra esquecer o outro amor"; acho que compensa a gente resolver tudo internamente, ter aquele período de avaliação de erros e acertos - sem culpa, porque, como você disse, errar é humano - e de se preparar pra outra, até mesmo se for pra tentar reatar com a mesma pessoa.

    E Luísa, mais do que certa também, as pessoas marcam e as marcas ficam e ajudam no caminho - apesar de às vezes machucarem sim, como disse o Renato. Aí precisamos dar tempo ao tempo e ter coragem pra, num futuro, não transformar a ferida em trauma que impeça outras tentativas.

    ResponderExcluir

Damas e cavalheiros, por favor sejam educados, ponderados e não cometam nenhum crime em seus comentários.
Os comentários são submetidos a seleção e aprovação, portanto não fique triste se o seu não for exibido.
Agradecemos,
Equipe do DvC

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...